Quero Fazer Um Viagem Internacional; Devo Comprar Dólar Prontamente?


10 Dicas Para Melhorar Drasticamente A Experiência De Usuário Em Teu Website


Armando Santiago Jr. passava o dia inteiro atrás da tela do micro computador escrevendo textos para seu site de política. Era início de 2010, e ele defendia com unhas e dentes tua candidata presidencial, Dilma Rousseff (PT), aposta do desse modo presidente Lula. O "companheiro Armando", como era chamado por outros blogueiros, se descrevia no Orkut como "um cidadão brasileiro indignado com a ação criminosa dos tucanos" na campanha eleitoral.


Era casado, tinha cinquenta e seis anos e vivia em Poços de Caldas, Minas Gerais. Seu site chamava-se "Seja Argumentada Verdade" e dizia divulgar "a notícia transparente". Esse "Armando", mas, nunca existiu. Seu trabalho, segundo relatam, era alimentar o site com artigos desmentindo supostos boatos sobre o assunto Dilma Rousseff e digitar textos parciais e contrários a teu principal oponente, José Serra (PSDB), que acabou derrotado no segundo turno. A página também chegou a ter notícias falsas. E, para disseminar teu assunto, o serviço acabou envolvendo a fabricação de perfis falsos - pelo menos 131 deles no Twitter, segundo uma listagem à qual a BBC Brasil teve acesso.


Fração desses perfis, 84, ainda estão "vivos" pela rede social, apesar de inativos, e são capazes de ser conferidos por qualquer um. A corporação apontada pelos entrevistados como responsável pelo serviço é a Ahead Marketing, de Gabriel Arantes Cecílio e, na data, também de Arnaldo Lincoln de Azevedo. Em seu blog, é descrita como uma agência que adaptou o "marketing de guerrilha" pra realidade política. Oferece serviços como o de "invisible talkers" (comunicadores invisíveis), "grupo de agentes treinados que englobam mensagens em pontos estratégicos da cidade, a partir de diálogos entre eles mesmos ou com a população". Questionados por e-mail, os 2 negaram ter participado na "produção de notícias falsas", porém não responderam à pergunta a respeito da produção de perfis falsos. Também, disseram não poder dialogar se foram contratados pra atuar pela campanha de Dilma Rousseff em 2010 já que não falam sobre "consumidores ou supostos compradores" (leia mais abaixo). O website da agência informa que ela participou "dentro e fora do Brasil" de "campanhas vitoriosas pra Presidência da República, governos estaduais e de grandes capitais", sem especificar quais.


  1. Responsabilidades do cargo

  2. Ler mais

  3. 4º: análise dos dados

  4. Insira um CTA na conclusão



Não há na prestação de contas da campanha de 2010 de Dilma e do PT registros de pagamentos à Ahead Marketing. 234 1000, no entanto, da campanha do aliado e hoje governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), a "G. Cecílio e Cia Ltda", de Gabriel Cecílio Arantes. Pimentel concorreu ao Senado em 2010 e, no início daquele ano, foi um dos coordenadores da campanha de Dilma à Presidência.


Ele também aparece nos tuítes de alguns dos perfis falsos, que publicaram mensagens favoráveis não só ao deste modo candidato, assim como também a postulantes do PT aos governos estaduais. 20 de setembro de 2010. A "usuária" também tuitava a favor de Dilma: "Programa de Dilma mostra a história de existência de uma mulher vitoriosa", escrevera um mês antes.


BBC Brasil Fabricio Benevenuto, professor do departamento de Ciência e Computação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), demonstrando preocupação com a "tentativa de manipulação de opinião pública através do uso de perfis falsos" por esse ano. Para Pablo Ortellado, professor do curso de Gestão de Políticas Públicas da USP, a descoberta "mostra que o Brasil tem pelo menos 8 anos de 'know-how' de que forma fazer fakes de forma sofisticada como estratégia organizada de campanhas políticas". A partir de tua assessoria de imprensa, Dilma negou que tenha contratado tal serviço. Depoimentos dos entrevistados pela BBC Brasil e tuítes declaram que campanhas de políticos como Aécio Neves (PSDB-MG), desta forma candidato à Presidência, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) teriam contratado o serviço. Os quatro ex-funcionários chegavam pra trabalhar diariamente por volta das 10h em um apartamento em Higienópolis, bairro nobre na zona central de São Paulo, segundo relatam os entrevistados na BBC Brasil.


Assim como trabalhavam ali um diagramador e, ocasionalmente, alguém de tecnologia da dica, mostram os entrevistados. As postagens variavam principalmente entre notícias que atacavam Serra e textos que desmentiam boatos a respeito de Dilma que, na data, circulavam em outros websites, grupos de Orkut e correntes de email. O web site tinha as categorias: "(Des)governo do PSDB", "Desmentindo boatos", "Partido da Imprensa Golpista" e "PSDB: Mancadas da campanha", além de outros mais. Um modelo de publicação que tencionava desmentir textos falsos sobre Dilma é uma que explica que o presidente Michel Temer (PMDB), vice pela chapa, não era satanista. Esta postagem que fazia uma compilação de links de "desmentidos de e-mails falsos sobre isso Dilma" foi bastante disseminada - recebeu 70 comentários no site.


Um desses textos de checagem de dicas mostra como são falsos emails sobre isto "uma amante lésbica" da assim candidata, que estaria lhe pedindo pensão pela Justiça. O utensílio ensina o leitor como pesquisar no blog da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) o nome do advogado da suposta amante citado no email, verificando, sendo assim, que ele não existe.


Mesmo que a maioria das publicações fosse de ataques a Serra ou de checagem de dados sobre o assunto Dilma, os entrevistados pela BBC Brasil admitem que chegaram a gerar bem como notícias falsas. Uma publicação do dia seis de outubro de 2010, tendo como exemplo, informa que o Vaticano estava discutindo "excomungar José Serra".

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *